Atualmente, mais de 90% dos automóveis comercializados no Brasil são Flex e um dos motivos para a procura é a oscilação do preço dos combustíveis, dando ao motorista mais opções. Além disso, eles geram menos impacto ambiental e tem uma menor depreciação no momento da revenda.

O carro Flex chegou ao Brasil em 2003, com o Gol 1.6 da Volkswagen. Hoje, sendo um dos modelos mais baratos, atrai um grande número de compradores que gostam de ter a opção de abastecer com dois combustíveis.

Ele possui uma série de sensores que fazem a leitura dos gases de escape e enviam os dados a uma central eletrônica, que ajusta a mistura entre ar e combustível que vai ao motor, bem como a quantidade.

O Flex tem bicos injetores 30% maiores e uma taxa de compressão mais alta comparada aos modelos à gasolina. A taxa varia conforme o modelo do carro.

Como funciona o motor bicombustível?

São motores equipados com um sistema de alimentação convencional, mas com os bicos injetores maiores em cerca de 30%, que oferecem mais vazão. A sonda lambda, um sensor de oxigênio localizado no sistema de escape do carro, analisa os gases que resultam da explosão do combustível no propulsor e informa à central eletrônica do motor qual a quantidade de oxigênio que precisa ser liberada.

Qual é o melhor combustível para um motor Flex?

Cada combustível oferece a sua vantagem: para quem quer autonomia e lubrificação, a gasolina é mais recomendada e se a questão é desempenho e limpeza do motor, é recomendado abastecer com o etanol, pois ele auxilia na limpeza dos bicos injetores.

A gasolina consome menos, por ser mais densa e gerar mais energia, por isso é importante fazer a conta de custo/benefício no momento de abastecer. Alguns especialistas recomendam a troca de combustível a cada 10 tanques cheios, em média.

Devo misturar os dois combustíveis?

Poder misturar álcool e gasolina é uma das vantagens do Flex, mas é preciso deixar o veículo funcionando por pelo menos 20 minutos para que o motor identifique a proporção de cada um no tanque. E, no frio, a mistura dificulta a partida do carro.

Consulte o histórico antes de comprar seu veículo

Não importa se o veículo é Flex ou não, se você pretende comprar um carro usado ou seminovo, é melhor consultar o histórico e evitar problemas de documentação, facilitando no momento de contratar financiamento e seguros.

Consulte com uma empresa especializada. A AutoCredcar tem a maior base de dados da América Latina e oferece relatórios precisos e eficazes, apoiando empresas e consumidores em suas decisões veiculares e de crédito. Sendo referência nacional em serviços de informações veiculares, tem a expertise para uma negociação segura.

A AutoCredcar oferece consultas gratuitas e pagas. Na gratuita, você consulta número do motor e chassi, marca e modelo, cor e município. Em uma consulta mais completa AutoCredcar você encontra o proprietário atual, os registros de débito e alienação, veículos com busca e apreensão, veículos com registro de acidentes, veículos sinistrados e veículos vendidos em leilão.

Acesse o site, digite a placa do veículo e clique em consultar para ter uma consulta completa. Antes de confirmar a compra da pesquisa, é importante confirmar com atenção os dados iniciais do veículo. Com a placa confirmada, você adquire seu plano e se cadastra na AutoCredcar. Seu relatório será finalizado e pronto para ser consultado em poucos segundos.

Consultar gratuitamente