No momento de comprar um veículo tudo o que o motorista não quer e não precisa é ter dor de cabeça. Ele quer curtir o momento e rodar feliz com o seu veículo por aí. Pensando nesta segurança e garantia de que sua compra dos sonhos não vai virar um pesadelo, é muito importante sempre checar se o veículo que te interessa não tem alguma restrição. Como assim? Vamos explicar.

Além da possibilidade de problemas mecânicos, o que aqui já sugerimos para sempre checar o veículo com um mecânico de confiança antes da compra, existem as questões legais a serem verificadas.

Saiba quais são os principais problemas que você pode ter no momento da compra e da venda de um veículo:

Propriedade:

Checar sempre se a propriedade do veículo de fato é da pessoa que está vendendo o mesmo, para evitar cair em fraudes. Não confiar só em fotos e informação passada pelo vendedor.

Sistema Renajud:

Uma ferramenta eletrônica que interliga o Judiciário e o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), possibilitando a efetivação de ordens judiciais de restrição de veículos cadastrados no Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), em tempo real.

No caso de uma execução judicial por falta de pagamento, o juiz pode realizar o bloqueio do veículo do devedor com diversas formas de restrição, desde propriedade até circulação.

O comprador deve sempre verificar essa condição, para não caracterizar má-fé e perda do bem. Por isso, recomenda-se sempre o registro da venda em cartório com o reconhecimento de firma e datar o documento corretamente. Além disso, é necessário ir ao Detran e solicitar a transferência da propriedade do veículo.

Histórico:

Verifique se o veículo passou por alguma batida, se teve algum recall a fazer e quantos donos ele teve. Quanto mais informações conseguir sobre o veículo, melhor.

Financiamento:

Como o Leasing, no qual a propriedade do bem é da instituição financeira até a quitação do débito. A restrição de Leasing fica no documento atual do veículo, mas pode ser posterior à emissão do CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo).

Por isso é sempre bom conferir. Caso contrário você pode ter que devolver o veículo à instituição financeira e processar o vendedor.

Clonagem:

É comum este tipo de situação de compra de veículos clonados. A resolução 659/85 de 25/10/85 do Denatran determina que todo veículo fabricado a partir do mês 05/86 tenha o chassi gravado no para-brisa e vidros laterais, para fácil verificação.

O comprador pode acessar no site do Detran em que o veículo está registrado se as informações batem, conferindo o CRLV/recibo. É preciso ainda conferir o chassi (soleira da porta do veículo) e embaixo do capô e no motor. O carro precisa de vistoria. O alerta é para que nunca compre nada com a numeração raspada, mesmo que o preço seja muito atrativo.

Veículo de loja:

Neste caso a responsabilidade de quem vende é grande e está sujeita ao Código de Defesa do Consumidor, com garantia legal de 90 dias para vícios aparentes ou ocultos. Sempre cabe a possibilidade de desfazer o negócio em caso de algum defeito do veículo.

Quilometragem:

É importante analisar a quilometragem do carro usado ou seminovo, para entender a conservação desgaste do veículo. Infelizmente, algumas pessoas alteram essa quilometragem, mas existem scanners que analisam se a mesma foi adulterada.

É sempre bom olhar a quilometragem anotada nas revisões do veículo e checar a etiqueta no para-brisas indicando a próxima troca de óleo. Além disso, os pneus costumam durar entre 50 a 60 mil km. Se a quilometragem for menos e os pneus forem originais, pode ser um alerta.

Leilão:

Carros de leilão podem ter se envolvido em sinistro ou sofrido acidentes, como uma enchente, por exemplo. São vendidos por valores mais baixos, mas podem ter falhas estruturais graves. Faça essa pesquisa do leilão e pense se vale mesmo a pena comprar.

Documentos do vendedor:

É importante verificar também os documentos do vendedor ou concessionária. Cheque o CNPJ da concessionária ou loja e investigue a reputação da mesma. Tire cópia da habilitação do antigo proprietário ou do vendedor para que se tiver multas anteriores à compra, você consiga indicar o condutor.

Na hora de vender:

quando for vender assine o recibo do veículo, date, reconheça firma em cartório do contrato e do recibo, tire cópia autenticada de tudo e procure o Detran para fazer o registro da venda para evitar qualquer tipo de situação complicada.

Vistoria cautelar:

Essa dica vale ouro, sempre peça a vistoria cautelar do veículo e o laudo de procedência. Com a vistoria será analisado a estrutura do carro, documentos e histórico.

Consulta

Está pensando em comprar um veículo seminovo ou usado? Faça uma consulta veicular AutoCredcar.

Contamos com o maior banco de dados privados de veículos automotores da América do Sul. Nos últimos anos, incorporamos continuamente os mais avançados serviços de identificação de autenticidade, proporcionando melhores condições de análise de informações veiculares.

Em nosso site você pode ainda fazer uma consulta, de maneira simples e rápida. Você digita a placa do veículo, confirma os dados e terá seu relatório em poucos segundos.

Consultar gratuitamente